Ibovespa cai abaixo de 62 mil pontos; medo de racionamento pressiona elétricas

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013 18:25 BRST
 

Por Danielle Assalve

SÃO PAULO, 7 Jan (Reuters) - O setor elétrico teve um dia de perdas na bolsa paulista nesta segunda-feira, contribuindo para levar o principal índice brasileiro de ações a fechar a sessão abaixo dos 62 mil pontos.

Temores de um possível racionamento de energia no Brasil foram os responsáveis por motivar a venda de papéis de companhias elétricas na sessão, segundo operadores.

O Ibovespa fechou em queda de 0,94 por cento, a 61.932 pontos. O giro financeiro do pregão foi de 7,02 bilhões de reais.

As preferenciais de classe B da Eletrobras lideraram as perdas do índice, com queda de 4,72 por cento. AES Eletropaulo e Cesp perderam 3,4 por cento, enquanto Cemig recuou 3,3 por cento.

"O mercado está trabalhando com a possibilidade de racionamento de energia e isso se reflete no preço das ações", disse o sócio da Órama Investimentos Álvaro Bandeira.

O mercado mostra preocupação com as perspectivas para o setor elétrico brasileiro, em meio a um cenário de baixos níveis dos reservatórios das hidrelétricas, chuvas insuficientes para recompor os estoques e sistema de termelétricas praticamente todo acionado.

O Índice de Energia Elétrica, que reúne os papéis do setor negociados na Bovespa, teve queda de 2,49 por cento --foi a baixa mais acentuada desde setembro de 2012, quando as ações desabaram após o governo anunciar redução das tarifas de energia e antecipar a renovação de concessões do setor.

Dentre as blue chips, as ações preferenciais da Vale e da Petrobras foram as principais influências negativas para o Ibovespa, ambas com queda de cerca de 2 por cento.   Continuação...