Samsung será a maior fabricante mundial de eletrodomésticos

terça-feira, 8 de janeiro de 2013 11:54 BRST
 

LAS VEGAS, 8 Jan (Reuters) - A Samsung Electronics anunciou que está a caminho de cumprir a meta de se tornar até 2015 a maior fabricante mundial de eletrodomésticos, com crescimento de vendas da ordem de 50 por cento quando esse momento chegar.

A Samsung Electronics, que fabrica mais chips, telas planas, celulares e televisores do que qualquer de seus concorrentes e tem entre seus produtos o smartphone mais vendido do planeta, quer reforçar suas operações de eletrodomésticos e reduzir a distância que a separa de companhias como a Whirlpool e Electrolux.

"Estou confiante de que a Samsung vai se tornar a maior fabricante mundial de eletrodomésticos até 2015, com 18 bilhões de dólares em vendas, porque estabelecemos um sistema muito bem-estruturado para os principais produtos e estamos avançando passo a passo na direção desse objetivo, começando pelos refrigeradores", disse o presidente da divisão, Yoon Boo-keun, à Reuters, em entrevista durante a Consumer Electronics Show, segunda-feira em Las Vegas.

Os analistas estimam que a Samsung Electronics tenha faturado 13 trilhões de won (12 bilhões de dólares) no ano passado com os eletrodomésticos, parte da divisão de bens eletrônicos de consumo da empresa.

A Samsung Electronics deve abandonar as linhas de produtos que oferecem baixos lucros e reforçar as pesquisas sobre o gosto dos consumidores em diferentes mercados, afirmou Yoon.

"É um mercado que pode garantir um fluxo de caixa firme com pouca flutuação de receita, quando você tem um bom sistema em funcionamento", disse Yoon. "Existe grande potencial de que esse se torne o próximo propulsor de lucros da Samsung".

Yoon, que até 2011 comandava as operações de televisores da Samsung, um ano atrás foi transferido ao comando das operações de eletrodomésticos, que oferecem baixa margem de lucro, com a missão de reproduzir lá o sucesso conquistado nos televisores.

Conhecido como "Mr. TV", ele desempenhou papel central em derrubar o Japão de suas mais de três décadas de liderança na produção mundial de televisores, em 2006.

"Vemos muitas oportunidades nos eletrodomésticos, mas não promovemos o devido crescimento do segmento --para resumir, ele não recebeu o tratamento devido", disse Yoon depois de mostrar um novo refrigerador com quatro portas e dotado de conexão com a Internet, na CES.

(Por Miyoung Kim)