Mais dois Boeings 787 apresentam problemas no Japão

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013 08:34 BRST
 

TÓQUIO/WASHINGTON (Reuters) - Um jato Boeing 787 Dreamliner sofreu rachaduras em uma das janelas da cabine do piloto e um vazamento de óleo em outra aeronave do mesmo modelo foram detectados em voos diferentes no Japão nesta sexta-feira, nos mais recentes incidentes envolvendo o sofisticado novo avião da fabricante norte-americana.

A All Nippon Airways afirmou que um voo doméstico que saiu de Tóquio pousou em segurança no aeroporto de Matsuyama, no oeste do Japão, depois que uma rachadura surgiu em uma das janelas da cabine do piloto. O voo de volta do avião para a capital japonesa foi cancelado.

A mesma companhia informou mais tarde que um vazamento de óleo foi descoberto em um dos motores de outro jato do mesmo modelo depois que o avião pousou no aeroporto de Miyazaki, no sul do Japão. Uma porta-voz da All Nippon disse que o voo de volta a Tóquio também foi cancelado e que a companhia estava investigando a causa do vazamento. Ninguém se feriu nos incidentes.

O Dreamliner, o primeiro avião do mundo construído com compósitos de carbono, com um preço de tabela de 207 milhões de dólares, registrou outros problemas nesta semana.

Uma bateria pegou fogo e danificou um 787 da Japan Airlines que estava vazio no aeroporto de Boston, nos Estados Unidos. No dia seguinte, no mesmo aeroporto, em um outro 787 da JAL, cerca de 150 litros de combustível vazaram na pista e atrasaram a decolagem.

Autoridades do setor de transporte dos Estados Unidos concederão uma entrevista coletiva à imprensa nesta sexta-feira sobre recentes problemas elétricos no novo avião, disse à Reuters uma pessoa próxima ao assunto. A agência de notícias Bloomberg disse que a Administração Federal de Aviação (FAA) anunciará nesta coletiva uma revisão no sistema elétrico do modelo.

Reguladores do país levantaram dúvidas sobre a confiabilidade do 787 em longas rotas transoceânicas, publicou o Wall Street Journal.

O 787 Dreamliner fez seu primeiro voo comercial no final de 2011, depois que uma série de atrasos de produção deixaram as entregas do modelo três anos atrás do planejado. Até o final do ano passado, a Boeing vendeu 848 Dreamliners e entregou 49 unidades do modelo.