Estável em novembro, emprego industrial deve fechar 2012 em queda

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013 11:38 BRST
 

Por Camila Moreira

SÃO PAULO, 11 Jan (Reuters) - O emprego na indústria brasileira acompanhou a fraqueza da produção no setor e ficou estável em novembro na comparação com o mês anterior, caminhando para a primeira queda em um ano desde 2009.

Em relação a novembro de 2011, houve queda de 1 por cento, a décima quarta consecutiva na comparação anual, mas a menos acentuada desde fevereiro de 2012, quando foi de 0,8 por cento, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira.

O emprego industrial acumulou nos 11 primeiros meses do ano um recuo de 1,4 por cento na comparação com igual período de 2011. No acumulado dos últimos 12 meses teve perda de 1,3 por cento em novembro passado.

Em 2009 o emprego na indústria caiu 5 por cento, passando para um crescimento de 3,4 por cento em 2010. O ano seguinte ainda mostrou resultado positivo, mas a expansão foi de apenas 1 por cento.

"O mercado de trabalho reflete o comportamento mais moderado da produção nos últimos meses. A queda só é menor do que a produção porque é preciso avaliar o custo de demissão, custo de treinar um trabalhador depois e possibilidade de melhora", explicou o economista do IBGE André Macedo.

Considerada uma das causas para a fraqueza da economia no ano passado, em novembro, a produção da indústria caiu 0,6 por cento frente a outubro, pressionada pela desaceleração na fabricação de automóveis e da indústria extrativa.

SÃO PAULO E NORDESTE

Macedo destacou ainda que São Paulo lidera a queda acumulada no ano com perda de 2,8 por cento, em meio aos problemas vistos em alguns setores como concorrência de importados ou dificuldade de colocação de produtos no exterior.   Continuação...

 
Funcionários trabalham na linha de montagem da fábrica da Ford, em São Bernardo do Campo, em junho de 2012. O emprego na indústria brasileira teve variação nula em novembro sobre outubro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 14/06/2012 REUTERS/Paulo Whitaker