Déficit comercial dos EUA tem forte aumento; bens de consumo pesam

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013 12:15 BRST
 

WASHINGTON, 11 Jan (Reuters) - O déficit comercial dos Estados Unidos aumentou inesperadamente em novembro, pesando sobre o crescimento econômico, embora o movimento se deva a um aumento nas importações de bens de consumo que dá um sinal positivo para os gastos do consumidor.

O Departamento do Comércio informou nesta sexta-feira que o déficit comercial aumentou 16 por cento em novembro, para 48,7 bilhões de dólares.

Analistas esperavam que o déficit encolhesse para 41,3 bilhões de dólares, portanto o relatório pode levar alguns economistas a reduzirem suas estimativas para o crescimento econômico no quarto trimestre.

O déficit comercial foi o maior desde abril e o crescimento deve-se à alta de 3,8 por cento nas importações, o maior ganho em oito meses.

As compras de bens de consumo subiram em 4,6 bilhões de dólares, enquanto a importação de produtos do petróleo caiu em 870 milhões de dólares. Isso pode significar uma demanda mais sólida dos consumidores, considerada o motor da economia norte-americana.

O déficit dos EUA com a China caiu 1,7 por cento sobre outubro, enquanto as compras de bens da União Europeia cresceram 4,1 por cento, com 6,4 por cento especificamente da Alemanha.

No geral, as exportações, com ajuste sazonal, cresceram 1 por cento.

(Reportagem de Jason Lange)