Produção industrial da zona do euro cai 0,3% em novembro

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013 10:50 BRST
 

Por Robin Emmott

BRUXELAS, 14 Jan (Reuters) - A produção industrial da zona do euro caiu em novembro pelo terceiro mês consecutivo e contra expectativas de um aumento, mas o dado reforçou expectativa de que o pior momento da recessão do bloco passou.

A produção industrial nos 17 países que adotam o euro como moeda caiu 0,3 por cento em novembro sobre outubro, informou a agência de estatística oficial Eurostat nesta segunda-feira.

Em termos anuais, a retração do setor foi de quase 4 por cento. Alemanha, França e Itália respondem por dois terços da produção total do bloco. Economistas consultados pela Reuters esperavam uma variação positiva de 0,1 por cento em novembro e retração anual de 3,2 por cento.

A produção de bens de consumo duráveis, como televisão, caiu quase 8 por cento em novembro sobre 2011. Mas a de maquinários cresceu 0,7 por cento em novembro sobre outubro, após dois meses de quedas, dando um indicador positivo sobre negócios no futuro.

Se a fabricação desses bens de capital continuar a crescer, o Banco Central Europeu terá mais um sinal de que a economia do bloco está se recuperando da recessão e que a economia atingiu seu menor nível no quarto trimestre do ano passado.

"As incertezas e o risco de uma ruptura da zona do euro foram grandes pesos para os negócios no ano passado, mas este ano está começando com alguma estabilização", afirmou o economista do Commerzbank, Ulrike Rondorf. "Esperamos uma recuperação, especialmente na Alemanha, durante a primavera (no hemisfério norte)."

A crise da dívida na zona do euro fez o bloco entrar em uma espiral negativa de queda na confiança dos consumidores e aumento do desemprego, reduzindo a demanda por bens industrializados.

Mas uma série de medidas, como o programa do Banco Central Europeu de compra de bônus de governos problemáticos, ajudou a estabilizar a situação que ameaçou a viabilidade e o futuro da moeda única.

"O pior já passou", afirmou David Mackie, economista do JP Morgan. "Acreditamos que a zona do euro vai deixar a recessão no primeiro semestre deste ano."

Apesar disso, qualquer recuperação deverá ser fraca. A economia da zona do euro como um todo deverá crescer 0,1 por cento este ano, de acordo com previsão da Comissão Europeia. Economias importantes como Itália e Espanha não vão se recuperar até 2014, de acordo com a Comissão.