ANÁLISE-Empresas aéreas menores continuarão a crescer mais que líderes

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013 14:32 BRST
 

Por Roberta Vilas Boas

SÃO PAULO, 14 Jan (Reuters) - O ano de 2013 deve ser melhor para o setor aéreo, após as reduções de ofertas e maus resultados apresentados em 2012, mas ainda serão as empresas menores que apresentarão taxas de crescimento maiores que as líderes no Brasil.

Segundo analistas e especialistas do setor, o aumento de custos com combustível e a valorização do dólar prejudicou a todas no ano passado, mas a intensa competição entre Gol e TAM pela liderança do mercado fez com que ambas sentissem mais os efeitos de gastos maiores.

"(As empresas menores) têm capacidade que permite expandir rotas. TAM e Gol estão com capacidade no limite. Com certeza (as companhias menores) vão crescer mais que as outras", afirmou à Reuters o coordenador do curso de Ciências Aeronáuticas da PUC-RS, Hildebrando Hoffmann.

O incentivo que o governo federal quer der à aviação regional também reforça a expectativa de maior crescimento dessas empresas, segundo o analista de aviação da Lafis, Felipe Souza.

"A grande bola da vez é voo regional. Tanto que a Azul deu um salto", disse. "Vejo a aviação regional como ótima oportunidade de negócios."

Em dezembro, o governo anunciou um plano de 7,3 bilhões de reais para fomentar a aviação regional com incentivos e subsídios para companhias aéreas que operem trechos regionais.

Para Souza, a tendência é que a oferta de voos no Brasil se recupere ao longo de 2013, principalmente com o crescimento das companhias menores.

Para as grandes companhias aéreas, analistas também acreditam em recuperação, influenciada por eventos esportivos como a Copa das Confederações neste ano e a Copa do Mundo em 2014.   Continuação...