Goldman corta previsão de preço de soja por safra na América do Sul

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013 15:15 BRST
 

CHICAGO, 14 Jan (Reuters) - O banco de investimentos Goldman Sachs reduziu suas previsões para os preços de três e de seis meses para os contratos futuros de soja na bolsa de Chicago, citando o clima favorável na América do Sul, que impulsionou as perspectivas de produção de soja.

O banco deixou suas previsões de preços para o milho e trigo inalteradas.

Para a soja, o Goldman reduziu sua previsão de três meses para 15,25 dólares por bushel ante 16,50 dólares anteriormente, e cortou sua previsão de seis meses para 14 dólares por bushel ante 15,50 dólares anteriormente. O banco deixou a sua projeção de preço de 12 meses inalterada em 13,50 dólares.

"A chave para os preços da soja continua sendo a transição do ritmo forte da exportação atual dos EUA para a aceleração das exportações sul-americanas em fevereiro-março", disse o Goldman em nota a clientes na sexta-feira.

"Qualquer atraso nos embarques em face das exportações ainda fortes dos EUA diminuiria os estoques norte-americanos e elevaria fortemente os preços. Além desse risco de curto prazo, as boas condições meteorológicas até agora neste inverno apontam para grandes exportações da América do Sul a partir de abril", disse o Goldman.

Para o milho, o banco deixou suas previsões de preços de três e de seis meses em 8,25 dólares por bushel e sua previsão de 12 meses de em 6,50 dólares por bushel.

Para o trigo, o Goldman manteve suas previsões de três e de seis meses em 9,50 dólares por bushel e sua previsão de 12 meses em 8,00 dólares por bushel.

(Reportagem de Julie Ingwersen)