Opep vê demanda mais fraca por seu petróleo em 2013

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013 12:38 BRST
 

LONDRES, 16 Jan (Reuters) - A Opep prevê que a demanda pelo petróleo produzido pelo grupo seja menor do que o esperado em 2013 por conta de uma maior oferta dos países produtores, indicando que seus estoques podem crescer consideravelmente caso os países membros mantenham o nível atual de produção.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo, em seu relatório mensal, indicou que a oferta mundial irá confortavelmente superar a demanda na primeira metade do ano, mesmo após a Arábia Saudita, importante produtor, cortar sua produção em dezembro a fim de evitar um excesso de oferta e garantir preços acima dos 100 dólares por barril.

A Opep prevê que a demanda pelo petróleo produzido pelo grupo neste ano ficaria na média de 29,65 milhões de barris por dia, uma queda de 100 mil barris por dia (bpd) ante o mês anterior. Esse volume representa menos que a produção de dezembro do grupo, de 30,37 milhões bpd, conforme estimado por fontes secundárias.

A demanda pelo petróleo da Opep pode ficar em cerca de 29,07 milhões de bpd na primeira metade de 2013, segundo estimativas do relatório, o que pode implicar em um aumento de cerca de 1,3 milhões de bpd nos estoques caso a organização mantenha o ritmo da produção de dezembro.

A meta da Opep para seus 12 membros é produzir 30 milhões de bpd. Com os preços acima do patamar de 100 dólares desejados pelos sauditas, mas com expectativas de uma demanda mais fraca no início de 2013, a organização manteve as metas inalteradas em sua reunião de dezembro, deixando o caminho livre para ajustes informais da produção dependendo da demanda.

A Arábia Saudita informou à Opep que produziu 9,025 milhões de bpd em dezembro, uma queda ante os 9,49 milhões de bpd em novembro, confirmando dados fornecidos na semana passada por uma fonte da indústria familiarizada com a política saudita.

A produção saudita recorde no ano anterior, de até 10 milhões de bpd, ajudou a atenuar o impacto das sanções ocidentais aplicadas sobre o Irã por conta de seu programa nuclear, ajudando a reduzir os preços da máxima de 128 dólares atingida em março de 2012.

Outras importantes reduções na produção da Opep em dezembro se deram devido a contratempos técnicos e políticos no Iraque, exportador mundial de crescimento mais rápido, além dos impactos das sanções ao Irã.

Outros produtores da organização podem não se juntar à Arábia Saudita em voluntariamente reduzir suas produções. Os Emirados Árabes Unidos não enxergam nenhuma necessidade de fazê-lo uma vez que o mercado está bem balanceado, disse o ministro do Petróleo do país nesta quarta-feira.

(Reportagem de Alex Lawler)

 
Funcionários iraquianos caminham pela refinaria al-Doura, em Bagdá, em abril de 2012. A Opep prevê que a demanda pelo petróleo produzido pelo grupo seja menor do que o esperado em 2013 por conta de uma maior oferta dos países produtores. 09/04/2012 REUTERS/Mohammed Ameen