16 de Janeiro de 2013 / às 15:43 / em 5 anos

JPMorgan corta bônus do CEO pela metade

Por David Henry e Rick Rothacker

NOVA YORK, 16 Jan (Reuters) - O Conselho de Diretores do JPMorgan Chase cortou pela metade o bônus anual do presidente-executivo, Jamie Dimon, citando perdas do banco de 6,2 bilhões de dólares por operações com derivativos mal-sucedidas em Londres.

O bônus de Dimon foi reduzido mesmo depois que o JPMorgan, maior banco dos Estados Unidos, divulgou que o lucro líquido no quarto trimestre saltou 53 por cento e foi recorde para o ano de 2012.

O Conselho disse que o forte resultado do banco foi o motivo para dar bônus a Dimon, mas que as perdas em Londres fizeram com que a compensação fosse reduzida.

"Como presidente-executivo, Dimon é o responsável em última instância pelas falhas que levaram às perdas na divisão de investimentos", disse o JPMorgan nesta quarta-feira.

O pagamento a Dimon relativo a 2012 foi de 11,5 milhões de dólares, incluindo salário de 1,5 milhão de dólares e bônus de 10 milhões de dólares. Em 2011, ele recebeu 23 milhões de dólares, dos quais 21,5 milhões de dólares em bônus.

Dimon disse a repórteres em teleconferência que respeita a decisão do Conselho.

Por David Henry em Nova York e Rick Rothacker in Charlotte, Carolina do Norte

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below