17 de Janeiro de 2013 / às 20:56 / em 5 anos

Dólar cai 0,21% ante real com melhora do humor externo

Por Walter Brandimarte

RIO DE JANEIRO, 17 Jan (Reuters) - O dólar teve ligeira queda ante o real nesta quinta-feira, depois que dados animadores de emprego e moradia nos Estados Unidos aumentaram o apetite dos investidores por ativos de risco.

A moeda norte-americana encerrou em 2,0399 reais na venda, com recuo de 0,21 por cento em comparação ao fechamento anterior, após duas sessões consecutivas de alta.

O dólar apresentou baixas ainda mais fortes ante outras moedas latino-americanas --de cerca de 0,5 por cento ante o peso mexicano e o chileno, por exemplo.

Ante o real, a queda foi mais modesta porque os fluxos de moeda norte-americana para o país seguem fracos, embora positivos, afirmou o gerente de câmbio da Treviso Corretora, Reginaldo Galhardo.

“O mercado aqui não sai desse patamar de 2,03 a 2,05 reais por conta das condições internas do país”, disse. “O fluxo (de dólares) continua pífio e os dados da economia não mostram recuperação forte.”

Apesar disso, muitos analistas apostam que o dólar recuará mais ante o real este ano à medida que a economia doméstica se recuperar --e especialmente se a trajetória de inflação piorar.

“A situação externa está mais apaziguada e a situação interna tende a melhorar na margem. Por isso, o mercado pode ter ânimo para fortalecer o real”, disse o economista-chefe da Gradual Investimentos, André Perfeito, que recomenda aos investidores manter posições compradas na moeda brasileira.

Entre os sinais de melhora no exterior, dados mostraram que os pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos caíram na última semana para o menor nível em cinco anos, enquanto a construção de novas moradias avançou em dezembro no ritmo mais alto em mais de quatro anos.

Já as preocupações com a inflação em alta --reforçadas pelo comunicado do Banco Central na quarta-feira à noite, após a decisão de manter a Selic na atual mínima histórica-- sugerem que o governo pode favorecer um real mais valorizado para evitar repasses inflacionários.

Para alguns analistas, como Perfeito, a taxa de câmbio poderia recuar ligeiramente abaixo de 2 reais para ajudar no combate à inflação.

Esse movimento, no entanto, colocaria em xeque as declarações do ministro da Fazenda, Guido Mantega, que no fim do ano passado afirmou que o dólar acima de 2 reais “veio para ficar”.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below