22 de Janeiro de 2013 / às 13:02 / 5 anos atrás

Confiança do investidor alemão tem maior nível desde maio de 2010

Por Eva Kuehnen e Sakari Suoninen

Confiança dos analistas e investidores da Alemanha atingiu maior nível em mais de dois anos e meio em janeiro. 28/11/2011. REUTERS/Francois Lenoir

MANNHEIM, Alemanha, 22 Jan (Reuters) - A confiança dos analistas e investidores alemães atingiu o maior nível em mais de dois anos e meio em janeiro, em um sinal de que a crise da zona do euro não está mais afetando a maior economia da Europa com tanta força como no final do ano passado.

O instituto ZEW informou que sua pesquisa mensal sobre a confiança econômica avançou pelo segundo mês, alcançando o maior nível desde maio de 2010 ao subir para 31,5 pontos ante 6,9 em dezembro. Foi o maior aumento mensal em um ano.

A leitura superou a mediana de 12,0 pontos em pesquisa da Reuters, ficando melhor até mesmo do que a melhor estimativa de 23,5 pontos.

“Os investidores parecem cada vez mais confiantes de que a rede de segurança do Banco Central Europeu evitou o risco de uma ruptura catastrófica da zona do euro”, disse Christian Schulz, economista sênior do Banco Berenberg.

O BCE tem recorrido a medidas extraordinárias, como a compra de títulos e injetando dinheiro de baixo custo na economia. Em setembro, anunciou um novo e potencialmente ilimitado programa de compra de bônus.

Um medidor separado das condições atuais subiu para 7,1 este mês, ante 5,7 em dezembro, acima da previsão de consenso de 6,0.

O presidente do ZEW, Wolfgang Franz, disse que a pesquisa sugere que as empresas poderão em breve avançar com investimentos que haviam sido adiados por causa da incerteza do mercado.

“No entanto, a situação econômica de importantes parceiros comerciais é considerada ainda fraca. Isso sugere que a economia alemã vai crescer ainda em um nível mais moderado em 2013”, disse Franz.

Investimentos mais fracos contribuíram para um crescimento mais lento em 2012, quando a potência econômica da Europa registrou crescimento de apenas 0,7 por cento e contração de 0,5 por cento no quarto trimestre.

O governo alemão na semana passada cortou sua previsão de crescimento econômico para 0,4 por cento, ante 1,0 por cento anteriormente.

O economista do ZEW Michael Schroeder disse que a resolução para os problemas fiscais no sul da Europa foi o principal motivo para o salto no índice.

O índice foi baseado em uma pesquisa de 272 analistas e investidores, realizada entre 2 de janeiro e 21 de janeiro de ZEW disse.

Reportagem de Eva Kuehnen e Suoninen Sakari

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below