Aneel autoriza adiamento do cronograma de 3 térmicas da MPX

terça-feira, 22 de janeiro de 2013 14:26 BRST
 

BRASÍLIA, 22 Jan (Reuters) - A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) autorizou nesta terça-feira o adiamento do cronograma de três usinas termelétricas da MPX Energia, que juntas terão capacidade de 1.045 megawatts (MW).

Em todos os casos, a Aneel concordou com o argumento de que o atraso foi causado pelo próprio poder público, que estourou o prazo para a emissão das outorgas dos empreendimentos, comprometendo em cadeia todo o calendário.

A Aneel acatou o pleito da empresa de postergar de primeiro de janeiro para primeiro de abril deste ano o início da operação comercial das usinas termelétricas a gás Maranhão IV e Maranhão V, que somadas têm potência de 680 MW.

Nesse caso, porém, o relator do caso na Aneel, o diretor Edvaldo Santana, determinou que, após entrarem em operação, as duas térmicas terão de gerar, sem interrupção, pelo mesmo tempo que durar o atraso, até o limite de três meses.

Segundo o diretor-geral da Aneel, Nelson Hubner, durante esse período, o custo do combustível será arcado pela empresa. "Foi uma boa solução para o consumidor", disse Hubner aos jornalistas.

A Aneel também autorizou o descolamento de primeiro de janeiro para até 18 de maio do início da operação comercial da termelétrica a carvão Porto de Pecém II, de 365 MW.

O governo conta com as térmicas da MPX para ajudar na recomposição dos reservatórios das hidrelétricas e dar mais segurança ao fornecimento de energia ao longo do ano.

(Por Leonardo Goy)