Chefe do BC inglês diz que é hora de rever metas de inflação

terça-feira, 22 de janeiro de 2013 18:19 BRST
 

Por Padraic Halpin e David Milliken

BELFAST, 22 Jan (Reuters) - O regime de metas de inflação do Banco da Inglaterra precisa passar por ajustes finos, mas não deve ser fundamentalmente alterado, disse o presidente da autoridade monetária, Mervyn King, em um discurso nesta terça-feira.

King também disse que o banco central está pronto para recomeçar compras de bônus ou reduzir taxas de juros se necessário para impulsionar a economia, mas que a Grã-Bretanha precisa de mais reformas fundamentais se deseja exceder a "recuperação gentil" que espera para 2013.

King deixa o cargo em junho, e seu sucessor, Mark Carney, que atualmente preside o Banco do Canadá, promoveu comprometimento no longo prazo com juros baixos --que também são favorecidas pelo Federal Reserve, banco central norte-americano-- além de discutir os méritos de ter como meta o tamanho da economia em termos de dinheiro em vez da inflação.

Até este momento, o Banco da Inglaterra não tem favorecido compromissos explícitos com taxas de juros --argumentando que sua atual estrutura política é mais clara do que a de outros bancos centrais.

E o ministro das Finanças do país, George Osborne, que decide as metas da instituição, disse no mês passado que, embora receba bem o debate, é necessário haver um motivador mais forte para a mudança.

No entanto, no que provavelmente será seu último discurso fora de Londres, King disse a membros da comunidade empresarial de Belfast que é hora de o BoE e o governo refletirem novamente.

"Ações recentes de governos e bancos centrais em vários países industrializados levantaram questões sobre a estrutura na qual a política monetária é conduzida", disse ele.

"No Reino Unido, o regime de metas de inflação foi introduzido há quase 21 anos, e agora amadureceu. Seria sensível revisar o que foi definido para estabelecer a política monetária", acrescentou King.