Bradesco vê crescimento modesto em 2013; rentabilidade cai no 4o tri

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013 17:30 BRST
 

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO, 28 Jan (Reuters) - O Bradesco previu nesta segunda-feira redução de suas margens financeiras em 2013 e aumento cauteloso do crédito, depois de amargar um resultado um pouco abaixo do esperado e redução da sua rentabilidade no quarto trimestre.

O segundo maior banco privado do país indicou que irá focar na redução de custos e aumento de eficiência em 2013, para fazer frente a um cenário de inadimplência ainda elevada, juros domésticos nos menores patamares da história e atividade econômica ainda frágil.

O lucro ajustado do Bradesco no quarto trimestre ficou em 2,918 bilhões de reais, pouco abaixo da previsão média de analistas ouvidos pela Reuters de 2,950 bilhões de reais, embora tenha subido 5,3 por cento no ano a ano, de acordo com dados divulgados nesta segunda-feira.

O lucro líquido foi de 2,893 bilhões de reais no período, alta de 6,1 por cento ante igual etapa de 2011. No ano, o lucro somou 11,5 bilhões de reais, aumento de 2,9 por cento em relação ao apurado em 2011.

Em linha com o lucro abaixo do esperado, a rentabilidade do Bradesco --medida pelo retorno anualizado sobre o patrimônio líquido médio-- caiu 2,1 pontos percentuais no quarto trimestre, a 19,2 por cento.

"Nossa previsão é de que em 2013, nossa rentabilidade ficará entre 18 e 20 por cento", disse na teleconferência o diretor-executivo do Bradesco Luiz Carlos Angelotti.

O Bradesco terminou 2012 com estoque de empréstimos de 385,529 bilhões de reais, alta de apenas 11,5 por cento ante 2011 --bem abaixo do objetivo inicial, de crescimento entre 18 a 22 por cento, depois reduzido para 14 a 18 por cento. Com isso, a sua participação no crédito do sistema financeiro caiu 0,8 ponto percentual no ano, para 11,2 por cento.

Para este ano, o banco estima crescimento do crédito entre 13 e 17 por cento.   Continuação...

 
Foto de arquivo de fachada do banco Bradesco, em São Paulo. Inadimplência resistente, expansão discreta do crédito e maiores despesas administrativas levaram o Bradesco a lucro pouco abaixo do esperado e menor rentabilidade no fim de 2012. 29/09/2010 REUTERS/Nacho Doce