Confiança do consumidor dos EUA atinge mínima em mais de 1 ano

terça-feira, 29 de janeiro de 2013 14:33 BRST
 

NOVA YORK, 29 Jan (Reuters) - A confiança do consumidor norte-americano caiu em janeiro a seu nível mais baixo em mais de um ano, com os consumidores mais pessimistas em relação às perspectivas para a economia e às suas perspectivas financeiras, de acordo com relatório do setor privado divulgado nesta terça-feira.

O grupo industrial Conference Board informou que seu índice de confiança do consumidor caiu para 58,6 ante revisados 66,7 em dezembro. O número informado anteriormente para o último mês de 2012 havia sido 65,1.

A leitura registrou ficou aquém da expectativa de economistas, que apontava para 64.

Foi o nível mais baixo desde novembro de 2011.

No início do ano, políticos norte-americanos chegaram a um acordo que evitou o chamado abismo fiscal, conjunto de aumentos de impostos e cortes de gastos automáticos que estava prestes a entrar em vigor.

Mas o pacto acabou por elevar impostos a muitos norte-americanos e algumas decisões orçamentárias ainda seguem pendentes.

"O aumento dos impostos sobre vencimentos pesou sem dúvida sobre o sentimento dos consumidores. Pode levar algum tempo para que a confiança seja retomada e os consumidores se recuperem de seus choques iniciais com as folhas de pagamento", avaliou a diretora de indicadores econômicos do Conference Board, Lynn Franco, em comunicado.

O índice de expectativas caiu para 59,5, o seu menor nível desde outubro de 2011, ante 68,1. O indicador de situação atual contraiu para 57,3 ante 64,6.

A visão dos consumidores sobre o mercado de trabalho também perdeu intensidade, com o índice "emprego difícil de conseguir" subindo pela primeira vez desde setembro, para 37,7 ante 36,1 no mês anterior. O índice de "emprego abundante" recuou para 8,6 ante 10,8.

Consumidores esperam também aumentos de preços, com expectativas de inflação ao longo dos próximos 12 meses subindo para 5,7 por cento, ante 5,6 por cento.

(Reportagem de Leah Schnurr)