Setores defensivos levam Dow e S&P a fechar em alta

terça-feira, 29 de janeiro de 2013 19:52 BRST
 

Por Angela Moon

NOVA YORK, 29 Jan (Reuters) - Dois dos três principais índices acionários norte-americanos avançaram nesta terça-feira, liderados por setores defensivos, em um sinal de que o grande fluxo financeiro que seguiu para o mercado recentemente está sendo utilizado por investidores cautelosos com o objetivo de conseguir mais ganhos.

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, avançou 0,52 por cento, para 13.954 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve valorização de 0,51 por cento, para 1.507 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 0,02 por cento, para 3.153 pontos.

O S&P 500 caminha para registrar sua melhor performance mensal desde outubro de 2011 e seu melhor janeiro desde 1997, com investidores injetando 55 bilhões de dólares em fundos mútuos de ações e fundos negociados em bolsas em janeiro, no maior influxo mensal na história.

O Dow Jones tem flertado com o patamar de 14.000 pontos, nível não visto desde outubro de 2007.

A ação da Amazon disparou quase 7 por cento no after-market após a maior rede de comércio online do mundo anunciar que sua receita cresceu 22 por cento no quarto trimestre, para 21,27 bilhões de dólares. O papel encerrou com baixa de 5,7 por cento, para 260,35 dólares, no pregão regular.

Entre as ações defensivas que avançaram --isto é, companhias relativamente imunes a oscilações econômicas-- estão as da farmacêutica Pfizer, que teve variação positiva de 3,2 por cento, para 27,70 dólares, após a publicação de seus resultados, e as da AT&T, que ganhou 1,6 por cento, para 34,68 dólares.

"Os setores cíclicos estavam tendo uma movimentação muito boa, e agora você vê equilíbrio com alguns dos defensivos. Muitos gestores usam isso como um hedge interno nos portfólios acionários", disse a estrategista de mercado do Prudential Financial Quincy Krosby.

Ela disse também que o mercado está cauteloso antes da divulgação, na quarta-feira, do comunicado do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Federal Reserve, banco central norte-americano, após dois dias de reunião.