Recessão da Espanha se aprofunda no 4o trimestre

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 10:05 BRST
 

Por Tracy Rucinski

MADRI, 30 Jan (Reuters) - A economia espanhola afundou ainda mais em recessão no quarto trimestre de 2012, encolhendo no ritmo mais rápido em um ano, à medida que cortes orçamentários e o alto desemprego fez com que famílias reduzissem gastos.

O Produto Interno Bruto (PIB) da quarta maior economia da zona do euro caiu 0,7 por cento na comparação trimestrar, mais que o dobro do ritmo de contração nos três meses anteriores e pior do que uma queda de 0,6 por cento prevista por analistas.

Os dados do Instituto Nacional de Estatística mostram o tamanho da tarefa que ainda está à frente do governo para colocar as finanças públicas de volta em bases sustentáveis, apesar de uma melhora da pressão do mercado de títulos nos últimos meses.

Sem crescimento econômico, analistas afirmam que o governo espanhol terá dificuldade de se livrar do fardo de uma dívida ainda crescente que colocou o país no centro da crise da dívida da zona do euro.

"Essas quedas acentuadas deixam um cenário difícil para os dois primeiros trimestres deste ano. A questão é como melhorias no mercado podem suavizar as quedas, mas ainda é muito cedo para dizer ", disse o estrategista do Citigroup José Luis Martinez.

O Banco de Espanha, banco central do país, diz que o retorno dos investidores internacionais para o mercado de dívida espanhol não se traduziu na economia real.

A economia da Espanha mergulhou em recessão em 2011, devido às consequências do estouro da bolha imobiliária e tem lutado para se recuperar em meio a um cenário de fortes cortes de gastos nos setores público e privado e de desemprego de 26 por cento.

O governo espera que a economia cresça novamente antes do final deste ano, mas muitos economistas dizem que essa é uma previsão otimista.

(Reportagem de Tracy Rucinski)