Vendas de supermercados crescerão em menor ritmo em 2013

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 14:48 BRST
 

SÃO PAULO, 30 Jan (Reuters) - Os supermercados brasileiros devem apurar neste ano uma desaceleração no ritmo de crescimento de vendas em relação a 2012, diante de perspectivas mais conservadoras para a economia do país e estabelecendo um patamar de acomodação para o setor.

A associação que representa os supermercadistas no país, Abras, estimou nesta quarta-feira que as vendas reais do setor tenham alta de 3,5 por cento em 2013, após crescimento de 5,3 por cento no ano passado.

"É uma desaceleração do crescimento, mas ainda é um número muito positivo", disse o gerente de economia da Abras, Flávio Tayra, em coletiva de imprensa. "O setor, que é muito sensível à renda, passa por uma mudança de patamar".

Segundo ele, aumento de renda e manutenção do desemprego em baixa devem contribuir para um bom desempenho das vendas neste ano, assim como em 2012. No ano passado, contudo, o aumento do salário mínimo foi superior ao deste ano, de 14 por cento, contra 9 por cento agora.

"Além disso, não se espera que o desemprego caia muito mais do que já caiu", acrescentou.

Mas, assim como aconteceu no último ano, a Abras não descarta elevar a projeção traçada, conforme o desempenho das vendas mês a mês.

A associação havia iniciado 2012 com previsão de vendas entre 3,5 e 4 por cento maiores, mas ao longo do ano elevou a estimativa para 5 por cento, marca que acabou sendo superada.

Em dezembro apenas, as vendas reais do setor tiveram crescimento de 5,37 por cento sobre o mesmo mês do ano anterior e saltaram 28,7 por cento ante novembro.

"Em 2012 tivemos um bom número em relação à economia do país... mantivemos crescimento sustentável ao longo do ano e essa tendência deve se manter em 2013", disse o presidente da Abras, Fernando Yamada, que assumiu o cargo neste mês.   Continuação...

 
Carrinhos de compra são vistos na entrada do supermercado Pão de Açúcar, em São Paulo, em junho de 2011. As vendas reais dos supermercados brasileiros devem subir 3,5 por cento em 2013, informou a Abras, associação que representa o setor. 28/06/2011 REUTERS/Nacho Doce