Governo zera IOF de investimento estrangeiro em fundo imobiliário

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013 12:31 BRST
 

Por Tiago Pariz e Luciana Otoni

BRASÍLIA, 31 Jan (Reuters) - O governo zerou nesta quinta-feira a alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), até então de 6 por cento, para investimentos estrangeiros voltados para aquisição de cotas de Fundos de Investimento Imobiliário (FII) negociados em bolsa de valores.

"O objetivo ao incentivar investimentos em fundos imobiliário é porque o investimento imobiliário é de longo prazo e se coaduna com interesse do governo de incentivar investimento de longo prazo", disse a jornalistas o secretário-executivo adjunto do Ministério da Fazenda, Dyogo de Oliveira.

Ele avaliou que o investimento em fundos imobiliários transacionados em bolsa está em expansão e que o IOF zero e as oportunidades de negócio nessa área atrairão investidores estrangeiros.

Mas a medida também tem potencial de ter impacto no mercado de câmbio, admitiu à Reuters uma fonte próxima do assunto, que pediu para não ser identificada, uma vez que ela atrai mais moeda estrangeira ao país justamente num momento em que o governo já deu sinais de que aceitará o dólar ligeiramente abaixo de 2 reais.

Nesta quinta-feira, o dólar abriu em queda, após a divulgação da medida, mas às 12h24, a moeda norte-americana tinha leve alta, de 0,11 por cento, negociada a 1,9911 real para venda.

O discurso oficial, no entanto, é que a medida não visa o câmbio. Para o secretário-adjunto da Fazenda, a decisão do governo de reduzir o IOF numa semana em que o Banco Central atuou no câmbio e o dólar caiu abaixo de 2 reais pela primeira vez em sete meses foi uma "coincidência".

"Não tem correlação com a atuação do BC", comentou. "O volume total disso perto do mercado de câmbio é um sopro numa montanha. Essa medida não tem efeito cambial prático. Claro que alguém vai entrar aqui sem pagar IOF mas não afeta a taxa de câmbio", disse Oliveira.

Nos últimos dias, o governo deu sinais de que o câmbio abaixo de 2 reais é uma ajuda importante no combate à inflação e no estímulo aos investimentos.   Continuação...