Aumento do diesel elevará frete agrícola em 2%, diz associação

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013 15:57 BRST
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO, 31 Jan (Reuters) - O aumento no preço do diesel deverá elevar em 2,16 por cento o custo do frete de produtos agrícolas no Brasil, em um momento em que o setor já se prepara para enfrentar gastos elevados com transporte rodoviário para escoar uma safra recorde de grãos, disse nesta quinta-feira a associação que reúne as transportadoras do país.

O aumento nos combustíveis, anunciado na terça-feira pela Petrobras, foi de 5,4 por cento para o diesel e 6,6 por cento para a gasolina, nas refinarias.

A NTC&Logística, associação que reúne as mais importantes empresas de transporte do Brasil, calcula que o diesel tenha peso de 40 por cento nos custos do frete agropecuário, que em grande parte é feito em caminhões de porte pesado, os chamados "bitrens", percorrendo longas distâncias.

"O agronegócio usa muito mais o bitrem de sete eixos, com as carrocerias graneleiras", lembra Neuto Gonçalves dos Reis, diretor-técnico da NTC.

Para o transporte rodoviário em geral no país, a entidade prevê aumento de 1,52 por cento no frete, uma vez que na média da frota brasileira de caminhões o diesel representa 30 por cento dos custos operacionais.

A NTC lembra que o estudo representa uma previsão, já que só será possível estimar o real aumento de custos quando o preço do diesel for todo reajustado nas bombas dos postos e incorporado ao cotidiano das transportadoras.

TRANSPORTE DA SAFRA

O setor agrícola pode se preparar para uma safra com transporte rodoviário que pode ser até 50 por cento mais caro, em determinados momentos, acrescentando-se outros fatores ao aumento do diesel, incluindo a lei que restringe a jornada dos caminhoneiros, afirma Reis.   Continuação...