Safra recorde de cana tranquiliza abastecimento de etanol, diz Unica

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013 21:17 BRST
 

SÃO PAULO, 31 Jan (Reuters) - A safra de cana-de-açúcar do centro-sul do país na temporada 2013/14 (abril/março) foi estimada num recorde entre 590 milhões e 600 milhões de toneladas, o que trará tranquilidade para o abastecimento de etanol, afirmou nesta quinta-feira a presidente da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Elizabeth Farina.

Se a avaliação da executiva da entidade que representa as empresas na principal região produtora do país se confirmar, o centro-sul terá uma colheita mais de 10 por cento superior ao volume de 530-535 milhões de toneladas da temporada atual, cuja moagem está praticamente finalizada.

"O que temos é um aumento de safra importante esperado para este ano. É só por conta disso que se tomou essa decisão (de se aumentar o percentual da mistura de etanol na gasolina)", disse Elizabeth em entrevista à Reuters.

Na quarta-feira, o governo anunciou que elevará a mistura de etanol na gasolina dos atuais 20 para 25 por cento a partir de 1o de maio, com o objetivo de atenuar o reajuste do preço do combustível fóssil aos consumidores, divulgado na terça-feira.

"Os estudos mostram uma tranquilidade na passagem de uma safra para a outra. O pessoal técnico entende que até seria possível antecipar para 1o de abril a nova mistura", disse ela, que assumiu a presidência da entidade no fim do ano passado.

Além disso, ela avaliou que há uma "tendência de queda" no preço do açúcar, com um mercado internacional trabalhando com um excedente, o que provavelmente levará as indústrias a produzir na nova temporada mais etanol na comparação com a safra que está se encerrando.

"Vamos ter uma tranquilidade de abastecimento", afirmou ela, reforçando que o setor não terá problemas para atender a demanda adicional de etanol anidro na gasolina com a nova mistura.

Segundo a executiva, o anúncio da mudança da mistura neste momento foi muito importante para o setor, pois permite que as empresas possam se programar, realizando contratos no mercado interno ou de exportação.

A presidente da Unica não divulgou dados sobre a produção de açúcar e etanol esperada para a próxima temporada.

(Reportagem de Roberto Samora)