Presidente do Barclays diz que não receberá bônus por 2012

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013 15:39 BRST
 

Por Steve Slater e Matt Scuffham

LONDRES, 1 Fev (Reuters) - O novo presidente-executivo do Barclays, Antony Jenkins, optou por não receber um bônus por 2012, afirmando que deve "assumir um nível apropriado de responsabilidade" pelo difícil ano que seu banco enfrentou.

Jenkins, que tornou-se presidente-executivo em agosto, disse que está ciente da considerável especulação sobre seu bônus, e, então, para evitar debate público desnecessário decidiu nesta semana que não quer ser considerado para um prêmio além de seu salário base de 1,1 milhão de libras. Ele tem direito a um bônus anual de até 2,75 milhões de libras (4,36 milhões de dólares).

O pagamento a executivos de bancos tornou-se uma batata quente política na Grã-Bretanha, com parlamentares de todos os partidos exigindo repressão de pagamentos de bônus para agradar um público que se tornou desiludido com suas instituições financeiras após a crise financeira de 2008.

O Barclays está particularmente sob pressão para demonstrar moderação neste ano após ter sido multado em 450 milhões de dólares por sua participação em um escândalo de manipulação de uma taxa de juro global e críticas de que sua cultura e seus padrões são relaxados demais.

A instituição, assim como outros bancos, estão afligidos por escândalos em suas operações de varejo, que Jenkins geria antes de assumir como presidente-executivo após a partida do ex-presidente, Bob Diamond.

O Barclays está no processo de finalizar os bônus de 2012 para sua equipe. O pagamento geral para funcionários de bancos de investimentos deve ser reduzido em até vinte por cento.