Galpões logísticos fazem setor imobiliário industrial avançar em 2012

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013 15:54 BRST
 

SÃO PAULO, 1 Fev (Reuters) - Em sentido oposto ao setor imobiliário residencial, que vem desacelerando para ajustar o nível de lançamentos, o segmento de galpões logísticos avançou no ano passado, com estoque entregue quatro vezes maior em relação a 2011 e baixo nível de vacância, segundo levantamento da Cushman & Wakefield, obtido pela Reuters nesta sexta-feira.

O desempenho do segmento imobiliário industrial também contrariou o resultado da produção industrial do país, que em 2012 caiu 2,7 por cento, a primeira queda desde 2009, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) .

"A desaceleração na produção industrial não afetou o segmento imobiliário industrial, que permaneceu aquecido e em amplo crescimento ao longo de 2012, principalmente para empreendimentos do tipo condomínios industriais, que apresentou intensa atividade construtiva", afirmou a consultoria imobiliária, no estudo.

Em todo o ano passado, o estoque entregue nesse segmento somou 1,448 milhão de metros quadrados, quatro vezes superior ao de 2011, nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Pernambuco, pesquisados pela Cushman. Já a taxa de vacância geral nessas regiões diminuiu pelo terceiro ano consecutivo, para 4,4 por cento, contra 5,3 por cento no ano anterior.

Ainda segundo a Cushman, a média geral do preço de aluguel aumentou 3,1 por cento sobre 2011, encerrando o ano em 16,2 reais por metro quadrado ao mês. Se considerados apenas condomínios de galpões, o preço médio de locação ficou em 19,1 reais por metro quadrado construído.

O investimento em logística tem se tornado uma das principais preocupações de muitos setores da economia, notadamente no caso das empresas ligadas ao consumo.

Ao longo do último ano, diversas varejistas e companhias de comércio eletrônico aceleraram os investimentos em logística, a fim de evitar problemas de armazenamento e distribuição de produtos, garantindo acesso mais fácil aos principais pólos de consumo do país em um momento em que prefeituras de grandes cidades restringem a circulação de caminhões.

No segmento imobiliário, a MRV Engenharia, por exemplo, retomou em meados de 2010 as operações da MRV Log, projeto criado em 2008 para construção de condomínios de galpões para fins logísticos e que foi interrompido durante a crise financeira mundial.

RJ TEM METRO QUADRADO MAIS CARO   Continuação...