Embraer não espera cortes adicionais de produção de E-Jets

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013 18:06 BRST
 

SÃO PAULO, 5 Fev (Reuters) - A fabricante de aviões Embraer não espera novos cortes de produção de jatos comerciais nos próximos anos, após a empresa ter anunciado na véspera os planos de cortar a produção de seus E-Jets em até 15 por cento em 2013.

Uma seca de grandes encomendas durante a maior parte do ano passado obrigou a Embraer a diminuir as linhas de montagem em sua divisão chave de aviões comerciais, disse o presidente-executivo da Embraer, Frederico Curado. Ele descartou a ideia de cortar produção de novo em breve.

"Eu não vejo qualquer aumento ou diminuição significativa. Nós certamente não esperamos reduzir (a produção) ainda mais", afirmou ele a analistas em teleconferência.

"Há potencial de aumento, dependendo de quanta participação de mercado conseguirmos com as campanhas de vendas nos Estados Unidos."

A Embraer e sua principal rival para o segmento de jatos regionais, a canadense Bombardier, têm conseguido encomendas robustas desde o fim dezembro.

Com os pedidos firmes que já têm em carteira, a empresa brasileira garante de dois terços a três quartos do nível atual de produção para 2014, disse Curado.

Os E-Jets da Embraer são projetados para transportar de 70 a 120 passageiros.

Com os negócios na aviação executiva se recuperando e o rápido crescimento da unidade de defesa, a divisão de aviação comercial deve responder por apenas 52 por cento da receita da Embraer em 2013 --depois de ter gerado mais de dois terços há cinco anos.

(Por Brad Haynes)