Atividade de mercados emergentes tem máxima de 11 meses--índice do HSBC

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013 11:20 BRST
 

LONDRES, 6 Fev (Reuters) - O crescimento dos mercados emergentes acelerou em janeiro para o ritmo mais rápido em quase um ano e os indicadores da confiança empresarial indicam uma melhora nos próximos meses, mostrou o Índice de Mercados Emergentes do HSBC (EMI, na sigla em inglês).

Todas as quatro economias dos Brics --Brasil, Rússia, Índia e China-- registraram marcas acima de 50 em seus Índices de Gerentes de Compra (PMI), indicando expansão da atividade.

O índice, derivado dos PMIs de 16 economias emergentes e anteriormente compilado apenas a cada trimestre, subiu para 53,9 em janeiro ante 53,0 em dezembro. Essa foi a leitura mais alta desde fevereiro de 2012, disse o HSBC.

"Embora as leituras mais fortes continuem a vir do setor de serviços, que mostrou ser bastante resiliente a um cenário externo mais desafiador, a boa notícia é a retomada da atividade industrial", disse o diretor global de Pesquisa de Mercados Emergentes do HSBC, Pablo Goldberg.

O HSBC também adotou um novo indicador, o Índice de Produção Futura Composto, para acompanhar as expectativas das empresas para a atividade em 12 meses. Ele atingiu uma máxima de dois meses e também sugere uma forte retomada na China ao longo do ano.

Goldberg destacou, entretanto, os potenciais riscos de inflação. As pressões de preços em mercados emergentes acelerou para o nível mais forte em três meses em janeiro com a taxa de inflação de insumos para fornecedores industriais em uma máxima de 15 meses.

(Reportagem de Dasha Afanasieva)