Cameron pede à Escócia que não se separe do Reino Unido

domingo, 10 de fevereiro de 2013 12:33 BRST
 

Por Andrew Osborn

LONDRES, 10 de Fev (Reuters) - O primeiro-ministro britânico, David Cameron, admitiu neste domingo que a Escócia possui todos os elementos necessários para ser uma nação independente, mas disse que agora desfruta "do melhor dos mundos" e pediu que não cause a ruptura com o Reino Unido.

Com o aumento da intensidade da campanha governamental para a permandência da união no país a um ano do referendo na Escócia, Cameron pediu que a região não rompa a união com a inglaterra. União mantida há 306 anos.

"O Reino Unido funciona. O Reino Unido funciona bem. Por que romper?", escreveu em artigo publicado em diários escoceses. "A grande pergunta é para ser decidida pelos escoceses. Mas a resposta importa para todo nosso Reino Unido. Todos estamos melhor juntos e pior separados".

O futuro político e o legado de Cameron estão em jogo. Ele aspira à reeleição em 2015 e o Partido Conservador não perdoaria uma ruptura do Reino Unido, formado por Inglaterra, Escócia, Gales e Irlanda do Norte.

Os principais partidos britânicos fazem campanha conjunta contra a independência sabendo que o Partido Nacional Escocês (SNP, na sigla em inglês) do primeiro ministro autônomo, Alex Salmond, é uma máquina política astuta e muito motivada que não economizará esforços na votação mais importante de sua história.

Aproveitando o coquetel de emoções, que mescla rivalidade histórica, gostos políticos diversos e uma percepção de que o parlamento britânico em Londres não cuida dos interesses da Escócia, a campanha "Escócia Sim" quer alcançar a independência em 2016.

 
O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, comparece a reunião da União Europeia em Bruxelas. Cameron admitiu que a Escócia possui todos os elementos necessários para ser uma nação independente, mas disse que agora desfruta "do melhor dos mundos" e pediu que não cause a ruptura com o Reino Unido. 8/02/2013 REUTERS/Eric Vidal