Problema da França não se deve ao tipo de câmbio do euro, diz Asmussen

domingo, 10 de fevereiro de 2013 17:46 BRST
 

BERLIM, 10 Fev (Reuters) - O membro do conselho executivo do Banco Central Europeu (BCE) Joerg Asmussen afirmou que os problemas econômicos da França não estão no tipo de câmbio do euro, mas dentro do país, rejeitando assim a ideia francesa de uma meta de médio prazo para a moeda única.

A França deve demonstrar preocupação com a atual força do euro em conversas entre ministros das Finanças da zona da moeda única na segunda-feira e durante reunião do G20 neste mês. No entanto, outros governos estão mais preocupados com a saúde da segunda maior economia da zona do euro.

"O núcleo do problema está dentro do país, e não na taxa de câmbio", afirmou Asmussen ao jornal Handelsblatt, de acordo com trechos divulgados neste domingo de uma entrevista que será publicada na segunda-feira. "Estou contente que o governo francês tenha adotado como seu tema central o aumento da competitividade."

A defesa que o presidente francês, François Hollande, fez na terça-feira por uma meta de médio prazo para o euro recebeu uma resposta fria de Berlim, que se opõe a intervenções no mercado de câmbio.

O presidente do BCE, Mario Draghi, disse na quinta-feira que o banco irá monitorar o impacto econômico de um euro mais forte, alimentando as expectativas sobre a possibilidade de um corte na taxa de juros, pressionando o euro para baixo.

Asmussen declarou que é "extremamente importante" que a França atinja a sua meta para o déficit público. A União Europeia tem um teto para o déficit estrutural de 3 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

"Se as previsões apontam que a meta não vai ser alcançada, é do interesse do governo francês que medidas adicionais sejam tomadas", disse Asmussen, citado pelo jornal.

(Reportagem de Annika Breidthardt)