G7 deve divulgar comunicado para esfriar embate sobre câmbio

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013 14:59 BRST
 

LONDRES, 11 Fev (Reuters) - O G7, grupo das principais economias desenvolvidas, está considerando emitir um comunicao nesta semana reafirmando o seu compromisso em torno de taxas de câmbio "determinadas pelo mercado", em resposta ao acalorado embate sobre uma guerra cambial, disseram duas autoridades do G20, nesta segunda-feira.

As duas fontes, de diferentes países, disseram à Reuters que, se aprovado, o comunicado pode ser lançado na reunião de ministros das Finanças do G20 e dos bancos centrais na sexta-feira e no sábado, em Moscou.

"Ele (o documento) concentra-se em um compromisso em que as taxas de câmbio serão determinadas pelo mercado e que (os governos) não vão utilizar políticas para manipular moedas", disse uma autoridade.

O texto pode mudar um pouco, mas está muito semelhante à última declaração emitida pelo G7 sobre moedas em 2011.

Vários países reagiram com alarme à política monetária expansionista adotada pelo governo do Japão, que levou o iene a se enfraquecer rapidamente.

Na semana passada, a França chegou a pedir um objetivo de médio prazo para a cotação do euro. Berlim rejeitou a sugestão e disse que não via que a moeda estava sobrevalorizada.

O ministro da Fazenda brasileiro, Guido Mantega, o homem amplamente creditado com a cunhagem do termo guerra cambial, disse à Reuters na semana passada que a situação cambial global pode ficar ainda pior se a Europa se unir à luta.

A questão será discutida em Moscou, mas autoridades não esperam o Japão seja pressionado nessa fase.