Autoridades do BCE rejeitam ter câmbio como alvo em reunião do G20

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013 08:58 BRST
 

Por Douglas Busvine e Paul Carrel

MOSCOU/FRANKFURT, 15 Fev (Reuters) - O presidente do Banco Central Europeu (BCE) e duas autoridades alemãs de política monetária rejeitaram nesta sexta-feira a pressão política sobre o rumo da taxa de câmbio do euro antes da reunião de ministros das Finanças do G20.

Falando antes da reunião em Moscou, o presidente do BCE, Mario Draghi, disse que as discussões recentes sobre moedas era "inapropriada, infrutífera e autodestrutiva".

O presidente do Bundesbank, banco central alemão, Jens Weidmann, uma voz forte no Conselho de Administração do BCE, disse acreditar que o euro não está sobrevalorizado e que o BCE não irá mudar a política monetária com base apenas no impacto sobre a inflação.

"Todo esse debate que tem sido realizado nas últimas semanas é inadequado ou infrutífero. Em todos os casos, é autodestrutivo", disse Draghi em discurso de abertura em uma conferência de imprensa após reunião com autoridades do banco central russo.

Draghi havia dito na quinta-feira que o BCE iria monitorar o impacto econômico do fortalecimento do euro, alimentando as expectativas de que isso poderia abrir a porta para um corte da taxa de juros.

"O mandato do BCE é perseguir a estabilidade de preços em ambas as direções a médio prazo", disse. "A taxa de câmbio não é uma meta política, mas a taxa de câmbio é importante para o crescimento e estabilidade de preços", acrescentou.

A inflação na zona do euro caiu para o menor nível em dois anos, a 2 por cento em janeiro --próximo da meta do BCE de levemente abaixo de 2 por cento.

PRESSÃO   Continuação...