Fed pode interromper QE3 antes de melhora no mercado de trabalho

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013 17:36 BRT
 

Por Alister Bull e Pedro da Costa

WASHINGTON, 20 Fev (Reuters) - O Federal Reserve, banco central norte-americano, pode ter de desacelerar ou interromper a compra de ativos antes de ver uma recuperação no mercado de trabalho, para a qual o programa foi desenhado, devido a temores sobre seus possíveis custos, mostrou a ata da reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) no mês passado.

"Vários participantes afirmaram que uma contínua avaliação de eficácia, custos e riscos de compra de ativos pode levar o comitê a reduzir ou interromper suas compras antes de julgar que tenha ocorrido uma melhora significativa na perspectiva para o mercado de trabalho", disse a ata divulgada nesta quarta-feira.

O Fed aprovou no mês passado a manutenção de sua terceira rodada de "quantitative easing", ou QE3, num ritmo de 85 bilhões de dólares por mês, ao mesmo tempo comprometendo-se em manter as taxas de juros quase zeradas até que o desemprego atinja 6,5 por cento, contanto que a inflação não ameace superar 2,5 por cento. A taxa de desemprego atual é de 7,9 por cento.

A economia norte-americana freou bruscamente no último trimestre de 2012, mas investidores estão confiantes de que se recuperará neste ano e membros do Fed expressaram confiança no mês passado de que, apesar de uma pausa, a "economia permaneceu em um ritmo moderado de crescimento".

O dólar subiu, as bolsas norte-americanas ampliaram levemente suas perdas e os títulos do Tesouro dos Estados Unidos reduziram perdas após a divulgação da ata.

Embora a ata tenha afirmado que muitos membros expressaram preocupações sobre os custos potenciais de mais compras de ativos, por outro lado foi dado um alerta sobre os perigos de se encerrar o programa de compra de ativos prematuramente.

"Vários outros (membros do Fomc) argumentaram que os custos potenciais de redução ou encerramento das compras de ativos muito cedo também eram significativos", disse o Fed.

Um número de autoridades no comitê de 19 integrantes também oscilou entre outra sugestão --de que o Fed manteria os bônus que comprou por mais tempo que o planejado previamente para fornecer mais estímulos monetários, seja para complementar ou substituir as compras de ativos.

O Fed mais do que triplicou o tamanho de seu portfólio desde 2008, para cerca de 3 trilhões de dólares, por meio da compra de bônus destinados a manter baixo o custo de empréstimos no longo prazo e estimular uma recuperação mais forte.

O Fed afirmou que reduzirá o tamanho de seu portfólio quando chegar a hora de apertar a política monetária.