IPCA-15 sobe 0,68% em fevereiro e acumula alta de 6,18% em 12 meses

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013 12:08 BRT
 

Por Camila Moreira

SÃO PAULO, 22 Fev (Reuters) - O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) surpreendeu em fevereiro ao registrar alta acima do esperado pressionado ainda por alimentos, apesar da redução nos preços das tarifas de energia, mantendo a atenção sobre a possibilidade de alta da taxa básica de juros do país.

De acordo com dados divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o índice considerado a prévia da inflação oficial mostrou desaceleração da alta a 0,68 por cento em fevereiro, ante 0,88 por cento em janeiro. O número veio acima da expectativa de 33 analistas consultados pela Reuters, cuja mediana apontava avanço de 0,61 por cento neste mês.

No acumulado dos últimos 12 meses, o IPCA-15 tem alta de 6,18 por cento, acima dos 12 meses imediatamente anteriores, quando ficou em 6,02 por cento, e dos 6,15 por cento do IPCA fechado do mês passado.

A redução nos preços das tarifas de energia elétrica, anunciada no mês passado pelo governo, foi o principal responsável pela desaceleração do IPCA-15 em fevereiro, com queda de 13,45 por cento nas contas, segundo o IBGE, retirando 0,45 ponto percentual do indicador. Sem isso, a inflação no mês teria superado 1 por cento.

A tarifa elétrica compensou os aumentos de 2,26 por cento nos valores do aluguel e de 1,33 por cento do condomínio em fevereiro, fazendo com que as despesas do grupo Habitação recuassem 2,17 por cento, ante alta de 0,74 por cento em janeiro.

Mas, segundo especialistas, o que mais chamou a atenção foi a inflação do grupo Alimentação e bebidas, com alta de 1,74 por cento, acelerando ante o avanço de 1,45 por cento em janeiro.

"Todo mundo espera safra recorde este ano, e o governo também conta com isso para que não ocorra pressão de preços, mas estamos um pouco pessimistas. Ficar apostando em melhora de clima, melhora de safra, acho um pouco arriscado", disse o economista da Claritas Investimentos Felipe Carvalho, citando o clima desfavorável no início do ano.

Também pesou no IPCA-15 o grupo Educação, que registrou a maior alta deste mês, de 5,49 por cento, ante 0,33 por cento em janeiro. Já as Despesas Pessoais mostraram desaceleração, com alta nos preços de 1,15 por cento em fevereiro, ante 1,80 por cento do mês anterior.   Continuação...