Geração de emprego formal no Brasil tem pior janeiro em 4 anos

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013 19:28 BRT
 

Por Luciana Otoni

BRASÍLIA, 22 Fev (Reuters) - O mercado de trabalho começou 2013 fraco com a abertura de 28.900 mil vagas formais no mês passado, o pior resultado para meses de janeiro desde 2009, sinalizando que a cambaleante economia brasileira pode perder um de seus principais esteios.

O dado apresentado no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho nesta sexta-feira veio pior que o esperado pelo mercado e pelo próprio governo, e pode indicar fraqueza na recuperação da atividade econômica.

"A gente não esperava esse resultado, esperávamos cerca de 100 mil", disse o diretor do Departamento de Emprego e Salário, Rodolfo Torelly, informando que o desempenho do mês ficou abaixo da média de 37 mil contratações para meses de janeiro.

Pesquisa Reuters mostrou que analistas de mercado esperavam a abertura de 46 mil vagas, de acordo com a mediana das previsões.

A perda de dinamismo do mercado de trabalho é uma preocupação a mais para o governo, que tem na geração de emprego com carteira assinada e na ampliação da massa salarial fatores de sustentação da economia brasileira.

A geração líquida de vagas em janeiro representou queda de 75,7 por cento em relação a janeiro de 2012, quando foram abertas 118.895 novas vagas, de acordo com dados sem ajuste.

O desempenho fraco foi influenciado pela elevada dispensa no comércio. Somente em janeiro, os lojistas cortaram 67.458 vagas, já descontadas as admissões no período.

"Foi o pior janeiro para o comércio", disse Torelly.   Continuação...

 
Um funcionário coleta crisótilo na mina de Cana Brava em Minacu. O mercado de trabalho começou 2013 fraco com a abertura de 28.900 mil vagas formais no mês passado, o pior resultado para meses de janeiro desde 2009, sinalizando que a cambaleante economia brasileira pode perder um de seus principais esteios. 18/01/2013 REUTERS/Ueslei Marcelino