Obama diz que cortes automáticos de gastos não são inevitáveis

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013 16:19 BRT
 

WASHINGTON, 22 Fev (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta sexta-feira não acreditar ser inevitável que o Congresso permita que profundos cortes automáticos de gastos entrem em vigor em 1º de março.

Obama e congressistas republicanos estão em desacordo sobre os gastos e impostos do governo, e não parecem estar perto de evitar que os cortes passem a valer como previsto.

Obama disse que, se isso vier a ocorrer, as reduções desacelerariam a economia dos Estados Unidos, impactando o crescimento pelo mundo.

No entanto, os cortes de gastos não deverão causar choque no mercado financeiro global, acrescentou o presidente durante encontro com o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe.

(Reportagem de Jeff Mason, Roberta Rampton e Mark Felsenthal)