HP ajuda índices a esboçar recuperação; membros do Fed seguem na mira

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013 19:22 BRT
 

Por Edward Krudy

NOVA YORK, 22 Fev (Reuters) - Os principais índices acionários norte-americanos fecharam em alta nesta sexta-feira, com o papel da HP disparando após fortes resultados, além de declarações do chairman do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, aliviando temores sobre interrupção de medidas de estímulo.

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, avançou 0,86 por cento, para 14.000 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve valorização de 0,88 por cento, para 1.515 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq subiu 0,97 por cento, para 3.161 pontos.

No acumulado da semana, no entanto, os resultados foram mistos: o Dow Jones subiu 0,1 por cento, o S&P recuou 0,3 por cento e o Nasdaq registrou oscilação negativa de 0,9 por cento.

A ação da HP se destacou nesta sexta-feira ao disparar mais de 12 por cento. Foi um dos maiores impulsos para o Dow e o S&P, após a receita e as projeções da maior fabricante de computadores pessoais do mundo superarem as expectativas.

O chairman do Fed, Ben Bernanke, minimizou temores de que o Fed esteja alimentando bolhas de ativos que podem prejudicar a economia, em reunião privada com operadores e investidores do mercado de bônus mais cedo neste mês, segundo noticiou a Bloomberg nesta sexta-feira.

A posição de Bernanke ajudou a aliviar a apreensão em relação à possibilidade de que a autoridade monetária possa dar fim ao afrouxamento da política monetária que vem conduzindo.

Dois membros do Federal Reserve, banco central norte-americano, reforçaram nesta sexta-feira sua defesa ao programa de compra de ativos pela autoridade monetária, argumentando que a medida ajuda a saúde fiscal dos EUA.

O presidente do Fed de Boston, Eric Rosengren, e Jerome Powell, do conselho de governadores da autoridade monetária, destacaram o aumento na receita tributária e uma maior produção como dois dos benefícios gerados ao governo pelo programa de compra mensal de 85 bilhões de dólares em bônus pelo Fed.

A ata da reunião de janeiro do banco exerceu peso sobre os mercados na quarta-feira, com investidores interpretando opiniões divergentes sobre o impacto do estímulo entre os membros da autoridade monetária como um sinal de que as medidas possam ser interrompidas mais cedo do que o esperado.

"Eles (membros do Fed) estão em território desconhecido, com posições divergentes", avaliou o vice-presidente de Investimentos do BMO Private Bank em Chicago, Jack Ablin. "Eu vejo algumas opiniões bastante aquecidas sobre qual será o resultado final, então acredito que haja discórdia."