Pearson se reorganiza e CEO nega venda do Financial Times

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 10:44 BRT
 

LONDRES, 25 Fev (Reuters) - O grupo britânico de mídia e ensino Pearson alertou nesta segunda-feira que seu lucro cairá este ano, ao anunciar um plano de reorgnização de 150 milhões de libras (228,99 milhões de dólares) para lidar com um mercado de publicidade difícil e orçamentos educacionais mais apertados.

O novo presidente-executivo do grupo, John Fallon, que assumiu em janeiro, disse que o plano vai ajudar a proporcionar um crescimento mais rápido da Pearson a partir de 2015.

Com a reorganização, a Pearson pretende acelerar a mudança para a venda de produtos e serviços digitais, em vez de impressos.

A Pearson é alvo frequente de especulação sobre uma potencial venda de seu jornal Financial Times, o que foi negado por Fallon nesta segunda-feira.

Os rumores sobre o destino do FT aumentaram em parte porque o novo presidente-executivo da Pearson tem poucos laços com a indústria de jornais.

"Eu já disse que o negócio não está à venda; não iniciamos (...) qualquer tipo de processo nem temos negociado com ninguém sobre a venda da FT", disse Fallon a jornalistas.

O FT também dá à Pearson uma marca poderosa em mercados emergentes, ajudando o grupo a vender seus produtos de educação nesses países, segundo Fallon.

A Pearson espera que o lucro por ação ajustado recue este ano em 3 por cento, em linha com a orientação dada em janeiro pela empresa. A receita deve crescer 4 por cento.