Orçamento alemão de 2014 não incluirá imposto sobre operações financeiras

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 13:15 BRT
 

BERLIM, 25 Fev (Reuters) - A Alemanha não pretende incluir receitas de um imposto sobre operações financeiras em seu orçamento federal de 2014, afirmou o porta-voz do Ministério das Finanças Martin Kotthaus nesta segunda-feira.

A pasta esperava anteriormente incluir 2 bilhões de euros do imposto no próximo ano.

A Alemanha trabalha para implementar o imposto o mais rápido possível de forma a colocá-lo em vigor em 2014. O problema é que ainda é incerto o plano para entrar em vigor, por isso decidiu-se não incluir o tributo nos planos orçamentários para o próximo ano, disse Kotthaus em entrevista coletiva regular.

"Por ora, decidimos não esperar o imposto sobre operações financeiras para o orçamento de 2014", completou.

"Mas ele (o imposto), claro, segue nos cálculos de nosso planejamento de médio prazo a partir de 2015. Isso porque não podemos estar suficientemente seguros de que estará em vigor em 1º de janeiro de 2014", acrescentou.

A Comissão Europeia (órgão executivo da União Europeia) propôs o imposto sobre transações financeiras em 11 países a partir de 2014, em um movimento que se espera que gere de 30 a 35 bilhões de euros por ano.

O imposto vai afetar todas as operações em todas as empresas financeiras em todos os instrumentos e mercados se houver uma conexão econômica com o grupo de 11 países.

(Reportagem de Matthias Sobolewski)