UBS se expande no Brasil apesar de cortes em outras unidades

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 20:51 BRT
 

Por Guillermo Parra-Bernal

SÃO PAULO, 25 Fev (Reuters) - O UBS está expandindo suas operações com mercados de capitais e assessoria no Brasil mesmo enquanto implementa cortes nessas áreas globalmente, e apesar de temores sobre a política econômica do país e da recusa do banco suíço em usar crédito para conquistar negócios.

O UBS completou nesta segunda-feira sua aquisição da Link Investimentos, marcando o início de suas operações completas de banco de investimentos, corretagem e gestão de riquezas na maior economia da América Latina. A Link será renomeada UBS Corretora. Os 170 funcionários da corretora elevarão o quadro de funcionários do UBS no Brasil para 310.

O veterano do mercado financeiro Lywal Salles, que chefiou o retorno do UBS ao Brasil, disse que o banco não vai utilizar capital destinado a empréstimos para conquistar acordos, utilizando em vez disso a força das operações de corretagem da Link para atrair investidores, com foco em ações e assessoria. O UBS deixou o Brasil em 2009 após vender sua unidade ao BTG Pactual por 2,5 bilhões de dólares.

"Acreditamos que ainda podemos ter boa performance no Brasil sem ter que recorrer a crédito para impulsionar nossa atividade -- nossas raízes são ações, assessoria, nossas forças tradicionais".

Alguns dos rivais estrangeiros do UBS têm reduzido suas unidades brasileiras para lidar com três anos de fracos crescimento e performance de mercado, além de crescentes custos e fluxo lento de acordos. O Barclays e o Deutsche Bank diminuíram os quadros de funcionários de suas unidades de pesquisa e vendas e negociações no país à medida que a competição cresceu e os negócios pioraram.

Limitar o crédito no Brasil vai ajudar o UBS a reduzir o risco e a alavancagem após o banco suíço sofrer perdas com negociações de mais de 50 bilhões de dólares após a crise financeira de 2008. A companhia tem reduzido operações com renda fixa e retornado a suas raízes de banco privado com manobras como seu recente lançamento na China de uma unidade local para focar em áreas como gestão de riquezas.

No Brasil, o UBS tem pelo menos três acordos para coordenar ofertas iniciais de ações(IPO, na sigla em inglês). O banco também tem um acordo para uma oferta subsequente, 21 de fusões e aquisições e outros sete compromissos ligados a fusões e aquisições para a divisão de gestão de riquezas, disseram Salles e o presidente-executivo da unidade de corretagem da UBS Corretora, Daniel Mendonça de Barros.

PERSPECTIVA TURVA   Continuação...