Índices dos EUA avançam com Bernanke; S&P supera 1.500 pontos

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013 19:20 BRT
 

Por Ryan Vlastelica

NOVA YORK, 27 Fev (Reuters) - Os três principais índices acionários norte-americanos avançaram mais de 1 por cento nesta quarta-feira, com o índice S&P 500 registrando seu melhor ganho percentual diário desde 2 de janeiro, após o chairman do Federal Reserve, Ben Bernanke, repetir sua defesa aos estímulos do banco central dos Estados Unidos.

O índice Dow Jones avançou 1,26 por cento, para 14.075 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve valorização de 1,27 por cento, para 1.515 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq subiu 1,04 por cento, para 3.162 pontos.

Em audiência em um comitê do Congresso pelo segundo dia consecutivo, Bernanke defendeu nesta quarta-feira as aquisições de bônus adotadas pelo Fed com o objetivo de manter os juros baixos para impulsionar o crescimento.

O chairman minimizou ainda sinais de divisões internas no Fed, afirmando que a política de compra de ativos da autoridade monetária, ou "quantitative easing", conta com apoio de uma "maioria significativa" de membros.

As declarações de Bernanke ajudaram o mercado a rebater seu pior declínio diário desde novembro e elevaram o S&P para acima de 1.500 pontos, um patamar atentamente observado que serviu de suporte técnico até recentemente.

Já o Dow Jones fechou em nível não visto desde 2007, aproximando-se de uma máxima histórica.

Bernanke removeu, assim, um obstáculo no caminho dos mercados: temores de que o estímulo do Fed possa terminar mais cedo do que o esperado. Dúvidas sobre as intenções da instituição interromperam uma série de sete semana de ganhos nas ações.

"O Fed continua a encorajar a assunção de risco nos mercados, (...) que torna mais perigoso assumir uma posição vendida em ações", disse o gestor Tom Mangan, do James Investment Research.

O salto de mais de 1 por cento no mercado foi motivado também por dados melhores do que o esperado sobre planos de gastos empresariais e sobre o mercado imobiliário.

As encomendas de bens duráveis nos Estados Unidos recuaram 5,2 por cento em janeiro, uma vez que a demanda por aeronaves civis e de defesa caiu com força. As vendas pendentes de moradias nos EUA, por sua vez, subiram mais que o esperado em janeiro.