Desemprego no Brasil segue em 5,8% em maio e rendimento cai

quinta-feira, 20 de junho de 2013 11:59 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO, 20 Jun (Reuters) - A taxa de desemprego no Brasil mostrou resistência em maio ao continuar em 5,8 por cento, acima das expectativas, ao mesmo tempo em que o rendimento da população caiu pelo terceiro mês seguido, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira.

O resultado repetiu o de abril e, embora seja o menor para o mês de maio desde o início da série histórica em 2002, marca o quinto mês seguido em que a taxa não cede.

"Perdemos a certeza de que 2013 vai ser um ano com taxas menores que as do ano anterior", afirmou o coordenador do IBGE Cimar Pereira Azeredo. A taxa média de desemprego em 2012 foi de 5,5 por cento.

A última vez que o desemprego caiu foi em dezembro, quando atingiu 4,6 por cento, a menor taxa da história, com os quatro meses seguintes mostrando alta e agora se estabilizando.

"A inflexão da curva aconteceu antes em 2012 do que agora. O momento em que o mercado de trabalho vai reagir ao aquecimento da economia está mais difícil para os analistas vislumbrarem", acrescentou o coordenador do IBGE.

A taxa de maio também ficou acima da mediana das previsões de 27 analistas consultados pela Reuters, que apontava para 5,70 por cento. As estimativas variaram entre 5,30 e 5,90 por cento.

Na média do ano, a taxa de desemprego já se encontra praticamente no mesmo patamar dos 5 primeiros meses de 2012 -- 5,7 por cento contra 5,8 por cento.

RENDA   Continuação...