Queda do real prejudica empresas de celulose portuguesas--BPI

sexta-feira, 21 de junho de 2013 07:58 BRT
 

LISBOA (Reuters) - O enfraquecimento do real, que acumula desvalorização de 14 por cento contra o euro nas últimas cinco semanas, é negativo para as produtoras portuguesas de celulose e papel ao interromper a alta dos preços de venda, afirmaram analistas do banco português nesta sexta-feira.

"A depreciação do real é uma notícia negativa para as companhias ibéricas do setor -- Altri e Ence --, já que deverá limitar a tendência alta dos preços dos últimos 12 meses", disseram os analistas em relatório.

O BPI afirmou que "os fabricantes brasileiros são exportadores de celulose -- Fibria e Suzano exportam, respectivamente, 90 e 78 por cento de suas vendas -- e a depreciação do real cria uma melhor posição competitiva para estes fabricantes, permitindo-lhes considerar preços mais baixos".

"A alta de 30 dólares por tonelada do preço da pasta branqueada de eucalipto recentemente anunciada -- para 850 dólares por tonelada -- tem tido dificuldade em passar para os clientes finais e acreditamos que isso se deve sobretudo ao enfraquecimento do real", disseram os analistas.