Reino Unido ainda precisa evitar "recaída econômica", diz Osborne

domingo, 23 de junho de 2013 14:35 BRT
 

Por Peter Griffiths

LONDRES, 23 Jun (Reuters) - A economia da Grã-Bretanha poderia voltar a cair em crise, se o governo abandonar seu programa de austeridade, disse o ministro das Finanças, George Osborne, no domingo, enquanto corre contra o relógio para finalizar a última rodada de cortes departamentais.

Três dias antes, quando anunciou limites de gastos dos ministérios para 2015-2016, Osborne disse que o déficit orçamentário ainda era muito alto e que estava empenhado em poupar cerca de 11,5 bilhões de libras (17,7 bilhões de dólares).

"Estamos com cuidados intensivos e nossa tarefa agora é garantir a recuperação", disse Osborne à BBC. "Há certamente uma possibilidade de uma recaída se abandonarmos nosso plano econômico".

O governo britânico de coalizão liderado pelos conservadores manterá sua política econômica central de reduzir um déficit que atingiu um pico de mais de 11 por cento do produto interno bruto antes que chegasse ao poder em maio de 2010.

Apesar de aumentos de impostos e cortes, a dívida pública manteve-se teimosamente alta durante o ano passado, e os dados na sexta-feira mostraram que a dívida líquida pública subiu para níveis recordes em maio.

Questionado sobre quantos dos 17 departamentos do governo haviam concordado em seus planos de gastos, Osborne disse apenas que a tarefa não foi terminada e era necessário mais trabalho antes que ele revele sua revisão de gastos na quarta-feira.

Um acordo foi alcançado com o Departamento de Defesa, no sábado, disse Osborne, finalizando o que os analistas viam como uma das áreas mais difíceis das negociações.

O general Peter Wall, o chefe do exército, disse na semana passada que mais cortes prejudicariam seriamente as chances de sucesso em guerras futuras do país.

Osborne disse que o acordo de defesa inclui cortes no número de funcionários civis, enquanto protege a capacidade militar da Grã-Bretanha. No entanto, ele disse que não houve acordo com o departamento comercial, dirigido por Vince Cable, um liberal democrata sênior, parceiro de coalizão.

 
Ministro das Finanças britânico, George Osborne, retira dinheiro de caixa eletrônico em agência do banco Lloyds TSB em Londres. A economia da Grã-Bretanha poderia voltar a cair em crise, se o governo abandonar seu programa de austeridade, disse Osborne, enquanto corre contra o relógio para finalizar a última rodada de cortes departamentais. 19/06/2013 REUTERS/Luke MacGregor