Cade recomenda restrição à compra da Seller pela Leader, do BTG Pactual

segunda-feira, 24 de junho de 2013 09:44 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) recomendou que a compra da loja de departamentos Seller pela varejista Leader, controlada pelo banco de investimento BTG Pactual, seja condicionada à adequação da cláusula de não-concorrência nas cidades em que a Seller atua, segundo despacho publicado nesta segunda-feira no Diário Oficial da União.

A decisão do superintendente-geral substituto, Diogo Thomson de Andrade, vai contra parecer da coordenação de análise antitruste do Cade, que havia recomendado a aprovação da operação, envolvendo cinco empresas da Seller, sem restrições em 10 de junho.

Reforçando a intenção de se expandir nacionalmente, a Leader informou naquela data que a Seller atenderia aos objetivos estratégicos do plano de crescimento da companhia "por estar presente em São Paulo, mercado ainda novo para a Leader".

Com uma rede de 50 lojas, a Seller também tem lojas em Mato Grosso do Sul e Minas Gerais, neste último, a Leader já mantém operações, mas não nas mesmas cidades.

Representantes da Seller, Leader e do Cade não estavam disponíveis de imediato para comentar o assunto. O BTG Pactual afirmou que não vai se pronunciar.

A Leader passou a fazer parte da carteira de investimento em empresas do BTG Pactual em maio de 2012. Na época, o banco anunciou a aquisição de quase 36 por cento da empresa, fatia que foi elevada para cerca de 70 por cento em setembro, após o exercício de uma opção de compra. No total, o BTG desembolsou perto de 1 bilhão de reais no negócio.

Com 79 unidades em oito Estados brasileiros (Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Pernambuco, Alagoas, Rio Grande do Norte, Sergipe e Bahia), a Leader vende roupas, calçados, acessórios e artigos para o lar.

(Por Marcela Ayres)