São Paulo anula reajuste de pedágios em 2013

segunda-feira, 24 de junho de 2013 18:28 BRT
 

Por Roberta Vilas Boas

SÃO PAULO, 24 Jun (Reuters) - O governo do Estado de São Paulo anunciou nesta segunda-feira que não haverá reajuste dos pedágios de rodovias paulistas neste ano, após ter decidido na semana passada revogar o aumento nas tarifas do metrô e do trem metropolitano.

O aumento anual do pedágio está previsto em contrato com as concessionárias e deveria entrar em vigor a partir de 1o de julho, com alta em torno de 6,5 por cento.

"Não haverá nenhum reajuste, nem pelo índice IGP-M, que seria 6,2 (por cento), nem o índice IPCA, que daria 6,5 (por cento)", disse o governador Geraldo Alckmin (PSDB) a jornalistas, ressaltando que o reajuste deste ano não foi apenas suspenso, mas eliminado.

As ações de concessionárias listadas na Bovespa caíram, diante das incertezas sobre o impacto da decisão do governo paulista sobre o resultado das empresas.

Mas os papéis atenuaram as perdas vistas mais cedo, à medida que as próprias empresas e a entidade que representa o setor afirmaram que não houve quebra de contrato e que o governo mostrou compromisso com o equilíbrio financeiro das companhias.

A Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) reduzirá o ônus variável que recebe do pedágio --que cairá de 3 para 1,5 por cento-- e serão utilizados créditos que o governo tem junto às concessionárias com obras atrasadas para permitir a manutenção das tarifas.

A suspensão do pedágio também vale para a travessia por bolsa ou lancha entre Santos e Guarujá.

"Este reajuste, ele não está sendo adiado por um ano, ele está sendo eliminado. Estamos assumindo, com inúmeras medidas, esse custo", disse o governador, acrescentando que no próximo ano haverá reajuste.   Continuação...