BC vê crédito crescendo mais em 2013, puxado por bancos públicos

terça-feira, 25 de junho de 2013 16:20 BRT
 

Por Luciana Otoni

BRASÍLIA, 25 Jun (Reuters) - O Banco Central melhorou sua previsão de expansão do crédito para este ano, impulsionada exclusivamente na expectativa de maiores financiamentos dos bancos públicos e no crédito direcionado com custos subsidiados, movimento que pode pressionar ainda mais a política fiscal.

A estimativa de alta do mercado de crédito brasileiro em 2013 passou a 15 por cento, ante 14 por cento, após crescimento de 16,2 por cento de 2012, informou o BC nesta terça-feira.

De forma desagregada, o BC projetou para este ano alta de 22 por cento do crédito para os bancos públicos, ante estimativa anterior de 18 por cento. Para os bancos privados, a projeção de aumento foi mantida em 10 por cento.

"Não vejo essa melhora da expansão do crédito para 2013 como fator de pressão da inflação, mas como fonte de pressão para expansão fiscal", disse o economista-chefe da INVX Global Partners, Eduardo Velho.

"A decisão do governo de reforçar mais o crédito via bancos públicos acabará rebatendo no Tesouro Nacional, porque ele é, financiador dessas instituições, enquanto os bancos privados não contam com esse suporte", acrescentou o economista.

O chefe do Departamento Econômico do BC, Túlio Maciel, disse que a revisão para cima na estimativa de crédito total para este ano foi feita exclusivamente na previsão de maior avanço do crédito direcionado e, em especial, do crédito habitacional, já que a previsão para o crédito livre foi reduzida.

"O crédito imobiliário segue em expansão. Essa taxa já foi superior a 50 por cento, está em 35 por cento, e segue crescendo no âmbito dos programas governamentais e por redução das taxas de juros", afirmou.

Ele citou também a perspectiva de expansão do crédito rural e dos empréstimos ofertados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que possuem juros subsidiados.   Continuação...