26 de Junho de 2013 / às 20:19 / em 4 anos

Faturamento do setor de máquinas no Brasil cai cerca de 2% em maio ante 2012

SÃO PAULO, 26 Jun (Reuters) - O faturamento da indústria de máquinas e equipamentos do Brasil recuou 1,7 por cento em maio sobre o mesmo mês do ano passado, encerrando os cinco primeiros meses do ano em queda de quase 8 por cento, devido em parte ao recuo das exportações, informou nesta quarta-feira a associação que representa o setor, Abimaq.

Apesar do desempenho, a entidade manteve a projeção de crescimento de 5 por cento no faturamento em 2013 sobre os 80 bilhões de reais registrados em 2012, resultado esse que representou recuo de 3 por cento sobre o desempenho de 2011.

A indústria, que produz bens utilizados na produção de setores que vão desde móveis a petróleo e gás, iniciou o ano estimando expansão de 5 a 7 por cento nas vendas.

Segundo a Abimaq, o faturamento bruto das vendas de máquinas e equipamentos em maio somou 7,2 bilhões de reais, aumento de 8,9 por cento sobre abril. No acumulado de janeiro até o mês passado, o faturamento somou 30,8 bilhões de reais --queda de 7,6 por cento ante o mesmo período de 2012, em parte explicada pela redução de 16,7 por cento das exportações.

As exportações somaram 1,04 bilhão de dólares em maio e 4,444 bilhões de dólares nos primeiros cinco meses do ano.

Já as importações de máquinas e equipamentos no acumulado do ano subiram 1,5 por cento, para o recorde histórico de 13,214 bilhões de dólares. No mês passado, as importações somaram 2,65 bilhões de dólares.

“No ano o aumento das importações ocorreu em praticamente todos os setores da economia, o que confirma o efeito preço na substituição da produção nacional”, disse a Abimaq em comunicado, acrescentando que, contudo, o montante importado tem “se reduzido gradativamente ao longo do ano”.

O déficit comercial acumulado do setor no ano é de 8,77 bilhões de dólares --alta de 13,7 por cento sobre o mesmo período de 2012.

O setor terminou maio utilizando 74 por cento de sua capacidade de produção instalada, praticamente o mesmo nível de abril, mas 4 por cento abaixo do nível registrado em maio de 2012. “A carteira de pedidos continua em queda, puxada principalmente pelos setores fabricantes de bens sob encomenda”, afirmou a Abimaq.

O consumo aparente, medido pelas vendas de máquinas produzidas no Brasil e importadas, somou 10,12 bilhões de reais em maio, praticamente estável sobre o consumo de abril, mas em queda de 8,9 por cento sobre maio de 2012.

“O consumo aparente de bens de capital mecânicos se mantém, em 2013 praticamente no nível médio de 2011, mostrando uma preocupante perda de dinamismo do investimento produtivo brasileiro”, afirmou a Abimaq.

Por Alberto Alerigi Jr., edição Raquel Stenzel

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below