Dólar sobe 0,3% ante real com ação de importadores

quinta-feira, 27 de junho de 2013 18:00 BRT
 

Por Bruno Federowski e Natália Cacioli

SÃO PAULO, 27 Jun (Reuters) - O dólar interompeu uma série de quatro quedas e fechou em alta frente ao real, com importadores e investidores aproveitando a recente depreciação da divisa norte-americana, que se estendeu durante boa parte deste pregão, para comprar dólares a preços mais baixos.

O efeito dessas operações foi intensificado pelo baixo volume de negociações típico nos finais de cada sessão e pela disputa pela formação da Ptax que, segundo analistas, deve somar volatilidade aos mercados até o próximo pregão.

A moeda norte-americana avançou 0,30 por cento, para 2,1959 reais na venda, atingindo 2,1760 reais na mínima do dia. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 2,5 bilhões de dólares.

"Quando o dólar cai muito, o mercado fica comprador e o investidor aproveita o patamar", disse o gerente de câmbio da Treviso Corretora, Reginaldo Galhardo. "A gente tem que levar em consideração que até há pouco tempo o dólar estava em 2,22 reais".

Esse movimento, que já havia ocorrido durante a tarde mas havia perdido a força, também era influenciado por empresas que buscavam proteção das flutuações da divisa.

"Tem pessoal que quer fazer hedge porque a perspectiva para o cambio ainda está ruim. Por causa disso, empresas com exposição cambial buscam proteção", disse o diretor-executivo da NGO Corretora, Sidnei Nehme.

Sinais de que o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, estaria prestes a reduzir seu programa de estímulo fizeram o dólar superar 2,25 reais na semana passada. Nos últimos dias, no entanto, declarações de autoridades do Fed e novos dados da economia norte-americana diminuíram as tensões nos mercados globais.

Nesta quinta-feira, três integrantes do banco central dos EUA voltaram a minimizar a perspectiva de menor liquidez mundial, levando o dólar a operar em queda ante o real durante a maior parte da sessão.

O chefe de Tesouraria de um grande banco nacional destacou ainda que a alta dos preços de commodities ajudava a impulsionar a moeda de países emergentes, com o dólar caindo 1,18 por cento em relação ao peso mexicano.

Analistas destavacam ainda que a disputa pela formação da Ptax, que é usada como referência na liquidação de diversos contratos de câmbio e derivativos, deve elevar a volatilidade do mercado de câmbio. A taxa de junho e do segundo trimestre do ano será conhecida por volta das 13h de sexta-feira.