BC da China garantirá empréstimos e liquidez razoáveis

sexta-feira, 28 de junho de 2013 07:46 BRT
 

XANGAI, 28 Jun (Reuters) - O banco central da China buscou acalmar os temores de que um aperto de crédito poderia afetar a atividade, afirmando nesta sexta-feira que autoridades vão garantir expansão razoável de empréstimos e mercados estáveis conforme a segunda maior economia do mundo se ajusta a taxas de crescimento econômico mais lentas.

Em suas primeiras declarações públicas desde que o aperto de crédito da semana passada fez as taxas de juros atingirem máximas recordes, o presidente Zhou Xiaochuan afirmou que o Banco Popular da China vai ajustar a liquidez no sistema bancário para manter os mercados financeiros estáveis.

Sem fazer referência direta ao aperto de crédito, Zhou afirmou que as determinações de política monetária são apropriadas e que o BC equilibrará a necessidade de reformar a economia da China com a necessidade de manter o crescimento em um caminho sólido.

"O crescimento econômico da China desacelerou mas ainda está dentro de uma margem razoável", disse Zhou a um fórum financeiro em Xangai.

"As atuais operações econômicas e financeiras da China e os preços ao consumidor estão em geral estáveis, todos mostram que a política monetária é apropriada e produz bons resultados."

As taxas sob as quais os bancos emprestam uns aos outros chegaram a atingir 28 por cento na semana passada, depois que o banco central permitiu que a oferta de crédito no mercado de dinheiro diminuísse significativamente.

"Por um lado, vamos guiar as instituições financeiras para manter crescimento do crédito razoável enquanto arrumam suas dívidas e estruturas de vencimento de forma apropriada para sustentar os ajustes estruturais e melhora da economia real", disse Zhou.

"Por outro lado, também forneceremos uma variedade de ferramentas para ajustar a liquidez do mercado no momento apropriado para manter os mercados em geral estáveis, criando boas condições monetárias para um mercado financeiro estável e desenvolvimento econômico."

(Reportagem de Samuel Shen, John Ruwitch e Ruby Lian em Xangaie Shao Xiaoyi em Pequim)