28 de Junho de 2013 / às 17:34 / 4 anos atrás

À espera de CMN, produtor de café negocia programas de apoio com governo

SÃO PAULO, 28 Jun (Reuters) - Na expectativa de que o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprove nesta sexta-feira a liberação de 390 milhões de reais para a realização de programas de apoio aos cafeicultores, representantes dos produtores já estão com encontros agendados com a área econômica do governo para discutir como e quais operações serão realizadas.

O presidente-executivo do Conselho Nacional do Café (CNC), o deputado federal Silas Brasileiro, afirmou em nota nesta sexta-feira que está agendada para a próxima segunda-feira audiência com o secretário de Política Econômica da Fazenda, Márcio Holland, “com o intuito de definirmos a implantação dos leilões de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro) e a possibilidade da realização de leilões de Opções Públicas”.

Os produtores de café do Brasil têm enfrentado preços internacionais oscilando perto dos menores patamares em quatro anos, em meio à grande safra no Brasil, após uma produção recorde na temporada anterior.

Atualmente, os preços no mercado brasileiro estão entre 25 e 30 reais por saca abaixo do mínimo do governo, na esteira dos valores internacionais.

O executivo do CNC disse ainda que os mesmos itens discutidos com o representante da Fazenda serão debatidos com o ministro da Agricultura, Antônio Andrade, e com o secretário de Produção e Agroenergia, João Alberto Paixão Lages, também na segunda-feira.

O ministro afirmou nesta semana que o CMN deverá aprovar os recursos reivindicados pela Agricultura.

“O emprego dessas ferramentas de mercado se faz extremamente necessário para que se comece a devolver a competitividade aos produtores, com remuneração justa, e, principalmente, mantenha-se o emprego no campo”, disse Brasileiro em nota.

LEILÕES DE PEPRO

Os leilões de Pepro visam garantir que o produtor obtenha pelo menos o preço mínimo de garantia estipulado pelo governo, de 307 reais por saca.

Por meio do Pepro, o governo paga ao produtor a diferença entre o preço de sua venda ao mercado e o preço mínimo, quando o valor está abaixo do mínimo.

O Pepro é disputado em um leilão com lances decrescentes.

No caso de o prêmio inicial do leilão ser de 30 reais, e na hipótese de não ocorrer disputa entre produtores, os recursos propostos pelo Ministério da Agricultura seriam suficientes para apoiar a comercialização de 13 milhões de sacas de 60 kg.

Esse volume representaria pouco mais de um quarto da safra nacional, oficialmente estimada em 48,6 milhões de sacas.

Por Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below