Taxa de retorno do trem-bala deve ficar em 7%, diz fonte

sexta-feira, 28 de junho de 2013 18:30 BRT
 

Por Leonardo Goy

BRASÍLIA, 28 Jun (Reuters) - O governo decidiu elevar a taxa interna de retorno (TIR) do trem-bala que ligará Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro de 6,32 para 7 por cento, informou à Reuters nesta sexta-feira uma fonte do Ministério da Fazenda, em mais uma tentativa de aumentar a atratividade da concessão.

Apesar de maior que a previsão na minuta do edital do empreendimento, lançada em dezembro passado, a taxa ficou abaixo da expectativa da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), que esperava uma TIR ao redor de 8 por cento.

Segundo a fonte da Fazenda, que falou sob condição de anonimato, o retorno do capital próprio a ser investido pelo futuro concessionário será quase o dobro da TIR, atingindo estimados 13,6 por cento. O governo deve manter a taxa de alavancagem do projeto em 70 por cento.

Na quarta-feira, uma outra fonte do governo tinha dito à Reuters que a taxa de retorno do trem-bala seria superior às de rodovias e ferrovias, devido aos maiores riscos embutidos no projeto. Isso acabou não se confirmando, já que a taxa definida pela Fazenda é inferior aos 7,2 por cento já anunciados para a concessão das rodovias BR-050 e BR-262.

O raciocínio que prevaleceu no cálculo da taxa foi que a operação do trem --que será objeto da primeira licitação-- envolve menos riscos para o concessionário do que a construção e a engenharia do trem-bala.

Segundo o representante de um dos países interessados na licitação do trem-bala brasileiro, a TIR de 7 por cento "não é ótima", mas "dá para trabalhar com essa taxa".

A ideia do governo é fazer o leilão para escolher a tecnologia e o operador do trem-bala até 19 de setembro.

IDAS E VINDAS   Continuação...